Arquivos:

Popularidade » Redes Sociais » Religiosidade » Twitter

Popularidade em alta: Papa Francisco supera os 14 milhões de seguidores no Twitter

O Twitter foi reativado no dia 17 de março, já com o nome de Francisco

O Twitter foi reativado no dia 17 de março, já com o nome de Francisco

A soma das contas oficiais que o papa Francisco tem em nove idiomas da rede social Twitter superou 14 milhões de seguidores. Desse total, cerca de um milhão são seguidores da conta em português. Em dois meses, a soma dos seguidores das contas da autoridade religiosa aumentou um milhão, já que no dia 16 de abril havia 13 milhões. A  conta mais seguida é a em espanhol, com um total de 5,9 milhões de seguidores. Em seguida, as contas em inglês (4,1 milhões) e em italiano (1,7 milhões). O papa também tem contas do Twitter em latim, polonês, francês, árabe e alemão.

A conta do papa na rede social foi inaugurada em dezembro de 2012 pelo papa Bento 16. No dia 28 de fevereiro de 2013, quando ele anunciou sua renúncia, o número de seguidores era de cerca de 3 milhões. A conta foi suspensa durante a Sede Vacante, o período entre a renúncia de Bento 16 e a eleição de Francisco, no dia 13 de março.

Cautela » Internet » Redes Sociais

A outra face das redes sociais

Alerta aos navegantes!

Alerta aos navegantes!

Dos avanços tecnológicos, as redes sociais são uma presença cada vez mais marcante no cotidiano das pessoas, ao ponto de algumas considerarem ser impossível viver sem as redes sociais. No entanto, elas – as redes sociais – não são só flores.

Em 2011, um brasileiro que é DJ nas horas vagas resolveu visitar uns amigos na Austrália, por causa de algumas mensagens em redes sociais agentes de imigração o mandaram de volta sob a alegação de que ele queria ganhar dinheiro no país. Esse é só um exemplo em milhares.

Com as redes sociais cada vez mais presentes no dia a dia das pessoas, é inevitável que muita gente encontre nelas uma maneira fácil, rápida e abrangente de se manifestar — e daí para se meter numa confusão é um pulo.

Uma das pontas mais visíveis das extravagâncias envolvendo redes sociais pode ser encontrada no mundo corporativo. Postar uma foto bêbado depois da noitada ou fazer um comentário racista pode ser a diferença entre conseguir ou não o emprego dos sonhos.

Há ainda outro lado bastante preocupante quanto às redes sociais, e nesse caso é possível citar, inclusive exemplos aqui do Rio Grande do Norte. Uma das mais usadas ferramentas hoje é o WhatsApp, um serviço de mensagens instantâneas. Através dos famosos “grupos de WhatsApp” informações se proliferam em uma velocidade incrível, mesmo que sejam falas. Em Natal, uma mensagem recente chegava a incluir um nome de um suposto servidor da UFRN que assegurava que a capital potiguar seria atingida por um tornado. Outro caso de uso negativo da ferramenta é o constante vazamento de imagens íntimas, principalmente de mulheres. Em um episódio uma jovem chegou a cometer suicídio em motivo da ação.

As redes sociais são, sem dúvida, grandes ferramentas de interação em comunicação, no entanto, nesses aspectos se mostram ainda bastante vulneráveis à atuação de pessoas com má intenção.

Do Jornal Expresso RN - Fahad
Redes Sociais

Mulheres que postam muitos dados no Facebook são mais solitárias, diz estudo

Mulheres que usam muito o Facebook ficam mais solitárias, diz estudo australiano.

Mulheres que usam muito o Facebook ficam mais solitárias, diz estudo australiano.

Um estudo da universidade australiana Charles Sturt vem causando polêmica nas redes sociais. Os dados afirmam que mulheres que utilizam demais o Facebook são mais solitárias. Com a pesquisa, os estudiosos concluíram que, quanto mais informações elas publicam no site, mais sozinhas elas estão.

A pesquisa analisou 616 usuárias do sexo feminino na rede social. Destas, 308 foram categorizadas como “conectadas”, enquanto 308 foram vistas como “solitárias”, por meio de uma observação de seus próprios posts em seus murais e perfis. A partir destes dados, estudou-se o compartilhamento de informações realizado pelos dois grupos. O segundo grupo, se mostrou mais exposto e “desesperado”.

 De acordo com os pesquisadores, as mulheres solitárias são as que mais disponibilizam informações públicas na Internet, como histórico sobre seus relacionamentos, endereços e detalhes pessoais em geral, como gosto musical e de literatura no perfil.Já os posts, que costumam não ser apenas para os amigos, mas para o mundo todo, fizeram os pesquisadores chegarem a conclusão de que o objetivo é encontrar, em algum lugar na rede social, alguém com os mesmo gostos ou que a admire.

Já o grupo das mais “conectadas”, cujo perfil pessoal inclui posts repletos de comentários de amigos e estranhos, apareceram com um maior número de interações no mural e menos informação exposta.

O estudo chamado “The Self-disclosure on Facebook among female users and its relationship to feelings of loneliness”, ou algo como “A auto-revelação no Facebook dos usuários do sexo feminino e sua relação com a solidão”, oferece visões de quão doloroso pode ser se expôr socialmente na rede.

Esta não é a primeira pesquisa que encontra ligação entre o uso do Facebook em excesso com uma insatisfação na “vida real”. Em 2013, a Universidade de Michigan, nos Estados Unidos, teve um grupo de pesquisadores que identificou que, quanto mais tempo as pessoas passam na rede social, mas infelizes e solitárias elas se tornam. Esses pesquisadores, em suas conclusões, se atrevem a declarar que o Facebook prejudica o bem-estar das pessoas e os relacionamentos humanos naturais.

O estudo australiano completo está disponível em inglês no site Science Direct em formato PDF.

Techtudo/Globo.com
Política » Redes Sociais

Executivo do Twitter vem ao Brasil ensinar melhores táticas para políticos

À frente do escritório do Twitter em Washington (EUA), Adam Sharp chefia uma equipe de 13 pessoas que tem como objetivo principal fazer com que políticos e ONGs aprendam a usar a ferramenta de maneira mais eficiente. Desde que assumiu o cargo, em novembro de 2010, ele visitou 11 países a fim de cumprir a mesma meta –nesta semana, veio ao Brasil. Durante três dias, Sharp falará a senadores, deputados e ao ministro Thomas Traumann, da Secretaria de Comunicação Social, para mostrar melhores práticas a serem usadas durante as campanhas. Ele recebeu a Folha para uma entrevista no escritório do Twitter em São Paulo.

“Em primeiro lugar, eu não daria tanta importância apenas à quantidade de seguidores, porque o candidato pode estar se relacionando com as pessoas certas. Frequentemente falamos sobre o Twitter como uma retorno à “política do varejo”. A qualquer país que vou, percebo que a melhor maneira de uma figura política para ganhar um voto é a mesma em todos os lugares: é olhar no olho, cumprimentar e pedir o voto. Mesmo para cargos minoritários, são necessárias pessoas demais para que você se eleja. Por isso que nos últimos 100 anos os candidatos começaram a falar mais na televisão, no rádio e nos jornais. Os políticos se tornaram muito bons em passar suas mensagens, mas perderam a interação com os eleitores”, disse Sharp.

Insegurança » Redes Sociais

Delegada reage a assalto, corre três quarteirões de salto e acerta o bandido que colocou .40 na sua cabeça

Uma delegada atirou e feriu um assaltante ao reagir ao crime no bairro Palmares, na região na Pampulha em Belo Horizonte, na noite de quinta-feira (24). Em sua página no Facebook, a policial descreve o ato de violência com orgulho e ainda cita a funkeira Valesca Popozuda como inspiração: “Bateu de frente comigo é tiro, porrada e bomba”

Rosely Baeta Neves disparou contra o bandido que tentou levar seu carro, um utilitário da Mitsubishi, ameaçando-a com uma arma calibre 40. Em seu texto na rede social, a delegada afirma que “como sou predadora, e usando meu instinto policial, agi com frieza, e no momento oportuno, saquei da minha amiga inseparável (minha 45) e sentei o dedo (sic)”.

A policial estava parada em seu carro, quando o homem identificado como Márcio de Jesus Pinto, de 27 anos, abriu a porta do veículo colocando a arma na cabeça de Rosely, exigindo que entregasse o carro. Já que anda armada 24 horas por dia, ela reagiu sacando uma pistola que estava embaixo da cadeira do motorista.

Assustado, o homem disparou contra a delegada, mas não a atingiu. O assaltante fugiu correndo e Rosely correu dois quarteirões de salto atrás dele enquanto efetuava quatro disparos. Comemorando, ela escreveu: “sai ilesa, e o bandido, ficou na horizontal, vou dormir na Paz de Deus, mais uma vez o bem vence o mal”.

 

delegada

Redes Sociais » Tecnologia

Use PeeperPeerer para descobrir quem fuça suas redes sociais no Android

PeeperPeeper lhe mostra quem está espiando sua privacidade.

PeeperPeeper lhe mostra quem está espiando sua privacidade.

O PeeperPeerer é um aplicativo dedicado para os usuários de smartphones que têm receio de que alguém esteja fuçando suas redes sociais escondido. Disponível para Android, ele cria atalhos falsos de apps como WhatsApp, Facebook e Facebook Messenger e tira uma foto quando o bisbilhoteiro tenta abri-los.

Para usar, basta abrir o programa e selecionar quais ícones você deseja imitar. Além dos citados, há os mensageiros Line e WeChat. Após escolher, arraste atalhos falsos para sua tela inicial para enganar os curiosos.

Em seguida, o software abre uma tela falsa de cada aplicativo imitado e acusa uma mensagem de erro de conexão. Dessa maneira, a ferramenta usa a câmera frontal para tirar uma foto da pessoa usando seu smartphone sem permissão.

Depois disso, basta acessar o serviço e conferir as imagens, que mostram o aplicativo fuçado, data e hora exatos em que alguém tentou acessá-lo. Baixe agora o PeeperPeerer e descubra quem está querendo checar suas informações pessoais nas redes sociais!

Techtudo/Globo.com

Empresas filiadas

Banners Parceiros

Design: John Carlos
Programação: Caio Vidal
Suporte: Agi Comunicação
Botch das divs centrais
X
Experimente o nosso aplicativo para Android. Clique para baixar e aproveite!