Arquivos:

Acari » Chuva

ACARI: Choveu mais de 30 mm na “Prainha” em Gargalheiras

No Centro de Acari, os pluviômetros marcaram 10 milímetros - Foto: Lúcio Bezerra.

No Centro de Acari, os pluviômetros marcaram 10 milímetros – Foto: Lúcio Bezerra.

A chuva que caiu na tarde desta sexta-feira (20) animou os acarienses que sofre com o baixo nível do açude Marechal Dutra, o Gargalheiras.
Na “Prainha”, em Gargalheiras, foi registrada uma chuva de 31 milímetros.

Com informações Davi Neto
Rio Grande do Norte

Deputado Ezequiel Ferreira de Souza emite nota

NOTA À IMPRENSA

Sobre as denúncias apresentadas na tarde desta sexta-feira (20) pelo Ministério Público do Rio Grande do Norte, o deputado estadual Ezequiel Ferreira de Souza, em respeito a opinião pública e ciente de sua idoneidade, informa que não foi comunicado oficialmente sobre os novos fatos da investigação.

Quando ouvido anteriormente, prestou todos os esclarecimentos aos agentes do Ministério Público responsáveis pelos trabalhos investigatórios. Por isso, recebeu com surpresa a notícia do oferecimento da denúncia e esclarece por fim que confia na Justiça e manifesta improcedência da denúncia.

Natal, 20 de fevereiro de 2015

Deputado Ezequiel Ferreira de Souza

Abastecimento » Chuva

Principal rio que deságua no Gargalheiras está de “barreira a barreira”

Foto: Valmir Dantas.

Foto: Valmir Dantas.

O Rio Pé de Serra, que deságua no Gargalheiras, recebeu uma boa quantidade de água com as chuvas caídas na tarde de hoje (20), na zona rural de Currais Novos.

O rio fica localizado nas imediações do Povoado Boa Vista, estrada que dá acesso ao município de Frei Martinho/PB. No entanto, mesmo com uma boa quantidade de água correndo, que por sinal está impedindo a passagem de veículos na via, não se sabe se o líquido precioso chegará até o Gargalheiras, haja vista que o mesmo se estende por pelo menos 15 km até o Marechal Dutra.

Rio Grande do Norte

MP denuncia Ezequiel por ter recebido R$ 350 mil de propina da ‘Sinal Fechado’

O escândalo denunciado na Operação Sinal Fechado, que já envolveu os ex-governadores Wilma de Faria (PSB) e Iberê Ferreira (PSB), denunciou nesta sexta-feira o chefe de mais um Poder do Rio Grande do Norte: o deputado estadual Ezequiel Ferreira, presidente da Assembleia Legislativa há pouco mais de duas semanas. O parlamentar foi denunciado pelo Ministério Público do RN por pedir R$ 350 mil para ajudar a aprovar o projeto da inspeção veicular no Rio Grande do Norte na Casa Legislativa em 2010.

A denúncia, que aponta para corrupção passiva, é resultado da colaboração premiada feita por George Anderson Olimpio da Silveira, um dos réus da operação Sinal Fechado e acusado de ser o responsável por todo o processo irregular de implantação da inspeção veicular no Estado. “Há mais elementos além desse depoimento de George Olimpio. Ezequiel Ferreira também foi citado no depoimento de outro envolvido, Alcides Fernandes”, revelou o procurador-geral de Justiça, Rinaldo Reis, responsável por assinar a denúncia contra o atual presidente da Assembleia.

Com informações do Jornal de Hoje
Corrupção » Restrição

MP aciona Procuradoria da República: alvo pode ser senador potiguar

Em razão de prerrogativa de foro, que antes era chamada de foro privilegiado, o Ministério Público Estadual acionou a Procuradoria Geral da República para atuar nas investigações do caso Operação Sinal Fechado. De acordo com o Portal Noar, os promotores públicos que concederam entrevista coletiva na manhã desta sexta-feira não quiseram citar nomes entregues à PGR, mas há a expectativa quanto à citação do senador José Agripino Maia. O presidente nacional e estadual do DEM foi citado no caso em 2012. Na época, o lobista Alcides Barbosa revelou que o senador José Agripino teria recebido cerca de 1 milhão de reais para intermediar junto ao governo Rosalba Ciarlini a implantação do programa de manutenção e inspeção veicular.

Por conta da denúncia, um procurador da República teria participado do acordo de delação premiada do advogado George Olímpio, que teria repetido o que dissera Barbosa e apresentado provas das acusações contra o senador democrata.

BG
Rio Grande do Norte

Governo regulariza pagamento de precatórios

O Governo do Estado, através da secretaria de Estado de Planejamento e Finanças, regularizou o pagamento de precatórios. O montante devido pelo Estado é de R$ 48 milhões. O Executivo já pagou a primeira parcela, dia 13 de fevereiro, e na próxima segunda-feira, dia 23, repassará a segunda. As duas parcelas são referente a janeiro e fevereiro.

A regularização do pagamento dos precatórios pelo Executivo foi fruto de várias reuniões entre o secretário da Seplan Gustavo Nogueira e o juiz responsável pelo setor de precatórios do Tribunal de Justiça do RN, Bruno Lacerda. Na última audiência, estiveram presentes o presidente do TJRN, Cláudio Santos, e o procurador geral do Estado, Francisco Wilkie.

O Governo do Estado volta a regularizar o pagamento de precatórios depois de dois anos. Em 2013, das 10 parcelas de R$ 3,8 milhões que a gestão passada se comprometeu a pagar, apenas três foram honradas. Já em 2014, apenas uma parcela – pelo Detran – foi paga.

Para o secretário Gustavo Nogueira, o entendimento entre o Executivo e o Judiciário reforça a relação de respeito entre os poderes, princípio defendido pelo governador Robinson Faria. “Esse entendimento representa um alento para os credores do Estado que esperam há anos para receber os precatórios e realça também o resgate de um dos compromissos defendidos pelo governador Robinson Faria, que é o do respeito entre as instituições”, afirmou.

Corrupção

Para Dilma, corrupção devia ter sido apurada no governo FHC

“Se em 1996 ou 1997 tivessem investigado e punido, nós não teríamos esse caso desse funcionário da Petrobras que ficou mais de 20 anos praticando atos de corrupção".

“Se em 1996 ou 1997 tivessem investigado e punido, nós não teríamos esse caso desse funcionário da Petrobras que ficou mais de 20 anos praticando atos de corrupção”.

A presidente da República, Dilma Rousseff (PT), disse nesta sexta-feira que a corrupção da Petrobras deveria ter sido investigada entre 1996 e 1997, durante o governo de Fernando Henrique Cardoso (PSDB). Fazendo referência a um depoimento do ex-gerente da estatal Pedro Barusco, a petista disse que o Brasil teria evitado cerca de 20 anos de atos de corrupção se o problema fosse resolvido em sua “raiz”.

Para a presidente, a Operação Lava Jato é um tipo de investigação que nunca havia ocorrido antes. “Não é que antes não existia. É que antes não tinha sido investigado e descoberto. Quando você investiga e descobre, a raiz das questões surge e você impede que aquilo se repita e seja continuado”, disse.

Sobre o envolvimento de empresas no escândalo, Dilma disse que os empresários devem ser investigados, mas ressaltou que a punição a empresas não pode gerar risco de desemprego.

“Iremos tratar as empresas considerando que é necessário criar empregos e gerar renda no Brasil, isso não significa ser conivente ou apoiar ou impedir qualquer investigação qualquer que seja. Agora eu não vou, por exemplo, tratar a Petrobras como a Petrobras tendo praticado malfeitos. Quem praticou foram funcionários da Petrobras que vão ter de pagar por isso. Quem cometeu malfeitos vai ter que responder por eles. Essa é a regra no Brasil”, disse.

Terra
Corrupção » Justiça » Política

Oposição quer Lula e Dilma na CPI da Petrobras

Lideranças da oposição no Congresso Nacional defenderam nesta sexta-feira a ida do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva à nova CPI da Petrobras, que será instalada na semana que vem na Câmara dos Deputados. Reportagem do jornal O Estado de S. Paulo publicada nesta sexta-feira, 20, revelou que Lula e seu sócio Paulo Okamotto, presidente do Instituto Lula, têm recebido emissários de empreiteiros que são alvos da Operação Lava Jato desde o fim do ano passado.

Os emissários têm pedido interferência política de Lula para evitar o colapso econômico das empresas, após uma série de prisões preventivas em curso e as consequências financeiras das investigações.

O líder do PPS na Câmara, Rubens Bueno (PR), afirmou que o ex-presidente tem de dar explicações sobre seu envolvimento com empreiteiros envolvidos no escândalo de corrupção e desvio de recursos da Petrobras. “Ninguém pode deixar de dar uma resposta. Se ele for honesto, se disporia a depor na CPI. Nenhum homem público pode se negar a falar sobre o que fez”, disse.

Para Rubens Bueno, Lula sempre teve um envolvimento próximo com os dirigentes das empreiteiras investigadas na operação. Bueno citou o fato de que o ex-presidente teria viajado em jatinhos das empresas e promovido, antes e depois de seu mandato, as empreiteiras em obras dentro e fora do País. Ele observou que, como ainda não foram definidos os espaços de cada partido nas comissões, não sabe se o PPS terá assento na comissão e, dessa forma, poderia formalizar o pedido de convite, que poderá ser aceito ou não pelo convidado, no caso Lula.

O líder do DEM no Senado, Ronaldo Caiado (GO), é a favor do pedido para chamar o ex-presidente. Caiado lembrou que na CPI mista sobre a estatal que funcionou ano passado já havia apresentado requerimentos para ouvir Lula e também Dilma. Os dois pedidos, contudo, foram rejeitados – no caso da Dilma, por falta de amparo legal por não se poder fazer esse tipo de pedido.

“Vejo a ida dessas duas pessoas como extremamente relevantes. Temos que buscar a falar de quem tem que dar a última palavra, não é o (Pedro) Barusco, o (Renato) Duque, e o (João) Vaccari, porque essas pessoas são como o Delúbio, as tarefeiras”, disse. “Lula e Dilma são os autores intelectuais do processo”, completou.

O presidente do Democratas, senador Agripino Maia (RN), também se disse favorável a ida do ex-presidente à CPI. Mas ressalvou que não se pode fazer “espetaculosidade” do assunto. Segundo ele o caso é muito mais sério do que uma eventual ida de Lula ao Congresso. Segundo ele, o importante é saber, por meio de outras formas de apuração, qual o envolvimento dele com os investigados na operação.

Agripino Maia cobrou que a presidente Dilma Rousseff se pronuncie sobre os encontros de seu ministro da Justiça, José Eduardo Cardozo, com representantes de empreiteiros da Lava Jato.

Estadão
Bizarro

Mulher desaparecida no Carnaval reaparece; diz que foi abduzida e pode estar “grávida de um extraterrestre”

A capixaba Ana Letícia Andreatta Fonseca que estava desaparecida desde a noite da última sexta-feira (13/02/2015) reapareceu as 19h da quarta-feira de cinzas. A vítima alegou em depoimento ao delegado Antonio Napoleão Dias que foi abduzida por uma nave espacial quando voltava do trabalho.

Ana Letícia tem 26 anos e é casada há 3 anos com Gustavo Fonseca. Na noite anterior ao suposto sequestro eles haviam combinado de viajar para passar o carnaval em Guarapari, balneário da Grande Vitória no estado do Espírito Santo. Ela estava com malas prontas e pegaria o marido no escritório dele localizado no bairro Enseada do Suá, em Vitória.

Depois de 4 horas de atraso e nenhum sinal telefônico ou por redes sociais, Gustavo acionou a Polícia Civil comunicando o desaparecimento. A polícia investigou o fato e achou estranho o fato do carro ter sido abandonado às margens da Rodovia ES010. Segundo Ana Letícia uma forte luz branca foi lançada no veículo e hominídeos verdes de 90 centímetros a retiraram a força do carro e a levaram para uma nave prata. Ela se emocionou ao dizer que “foi assustador. Eles me doparam e fizeram vários experimentos comigo. Estou com medo de estar grávida de um extraterrestre”.

Depois de cinco dias ela foi abandonada na mesma rodovia que houvera sido sequestrada. Como o carro estava no pátio da delegacia antissequestro ela teve que ligar para o marido pedindo para busca-la. Ainda não se tem nenhuma comprovação do ocorrido e nenhuma testemunha viu a forte luz, alem de Ana Letícia.

Com informações Enfu

Empresas filiadas

Banners Parceiros

Design: John Carlos
Programação: Caio Vidal
Suporte: Agi Comunicação
Botch das divs centrais
X
Experimente o nosso aplicativo para Android. Clique para baixar e aproveite!